Mulheres: cada vez mais expostas ao risco de infarto

Aumento de responsabilidades e hábitos cada vez menos saudáveis aumentam a incidência de doenças cardiovasculares no público feminino

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são responsáveis por um terço de todas as mortes de mulheres no mundo. São cerca de 8,5 milhões de óbitos por ano, ou mais de 23 mil mortes por dia. Brasileiras com mais de 40 anos detém as mais altas taxas de incidência de doenças do coração da América Latina. São 30% das mortes, superando o índice de mortalidade de tumores de útero e mama juntos.

Esses números nem sempre foram assim, explica a Dra. Celise Sobral Denardi, membro da Regional Piracicaba da SOCESP. Muito mais comuns nos homens até pouco tempo atrás, doenças como infarto ou acidente vascular cerebral vêm afetado cada vez mais mulheres, cada vez mais cedo.

“Podemos considerar que as mudanças de comportamento e estilo de vida que nos aproximam do modelo masculino alteram nossa qualidade de vida e ainda levam a fatores de risco anteriormente considerados masculinos, como tabagismo, sedentarismo e obesidade .”

O aumento de responsabilidades é um dos principais motivos. Hoje, cerca de 45% das mulheres são chefes de família no Brasil. Muitas delas ocupam cargos de liderança no trabalho antes restritos aos homens, acarretando em menos tempo para cuidar de si. Muitas vezes, o sinal de alerta é um evento fatal ou com sequelas limitantes, alerta a cardiologista.

“Desde a década de 90, o número de mulheres vítimas de doenças cardiovasculares vem crescendo continuamente. Fatores como hipertensão arterial, diabetes, dislipidemia (aumento anormal de taxa de lipídios no sangue), tabagismo, obesidade, sedentarismo, estresse e depressão são os grandes causadores do problema. O aumento de peso e a falta de atividade física, por sua vez, levam à elevação nos níveis de colesterol e de pressão arterial, também contribuindo para a doença. Devemos salientar, ainda, que depressão e estresse estão entre os novos fatores de risco para esta população”, afirma a Dra. Celise.

Ao atingir os 50 anos de idade, com a chegada da menopausa, os cuidados devem ser ainda maiores. Mais de 150 mil brasileiras morrem por ano de doenças cardiovasculares nesta fase da vida. A Dra. Celise alerta que, nos Estados Unidos, as doenças cardiovasculares matam cerca de 10 vezes mais mulheres do que o câncer de mama.

Cuidados

Confira algumas dicas da Dra. Celise, essenciais para a boa saúde das mulheres. Mas atenção: pacientes de alto e médio risco para evento cardiovascular necessitam, obrigatoriamente, de acompanhamento médico desde cedo.
- Não fumar nunca.
- Praticar exercícios físicos regularmente, pelo menos três vezes por semana.
- Ter bons hábitos alimentares, incluindo no cardápio frutas, verduras, legumes, carnes magras e cereais integrais.
- Reduzir o consumo de álcool.
- Estar atenta a sinais de depressão ou estresse e, em caso de dúvida, procurar auxílio médico.
- Ir ao médico regularmente para consultas de rotina e seguir corretamente suas orientações.
- Sempre procurar atendimento médico ao menor sinal de dor no peito ou desconforto torácico, especialmente se já possuir algum fator de risco.

Esta entrada foi publicada em Risco Cardiovascular e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.