Uma em cada três pessoas tem pressão alta

Um em cada 3 tem hipertensão.

Esses dados foram obtidos em estudos epidemiológicos realizados no mundo todo e não é coisa de países ricos: dados do Brasil mostram quantidade semelhante de afetados.

A hipertensão arterial, ou pressão alta, é uma doença cosmopolita e sem preconceitos: afeta pessoas de todos os credos e raças. Tem, sim, algumas preferências, como os adultos e idosos. Mas está aí, no meio de nós, silenciosamente (sim, porque na maioria das vezes não provoca sintoma algum) bombardeando nossos cérebros, rins e corações, causando derrames, infartos e insuficiência renal. E qual a consequência? A principal causa de morte no Brasil são as doenças vasculares, diretamente ligadas à hipertensão. E a insuficiência renal? Haja diálise, e depois temos que correr para credenciar mais centros para transplante, sem falar na falta de doadores… Melhor seria evitar.

Da doença, embora nossa velha conhecida, sabe-se pouco, Em 95% dos casos não há uma causa determinada, só alguns fatores chamados “de risco” que, somados, vão levando, em geral lentamente e de maneira contínua, para a elevação da pressão. E o consumo de sal é (há muitos anos) sabidamente um desses fatores. Tanto que a restrição do consumo de sal, juntamente com outras orientações gerais, é a primeira orientação dos a seus pacientes, antes mesmo dos remédios. Isso está escrito nos livros e nas diretrizes que norteiam o tratamento da doença.

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo está atenta a essa questão. Procura, por meio de ações em conjunto com outras sociedades médicas, difundir o conhecimento a respeito da doença. E está trabalhando para promover uma campanha para a sua detecção e tratamento. Detecção? Sim, porque das pessoas que têm a doença, só um terço sabe! E, desses, só a metade está com os níveis de pressão controlados. Medicina preventiva é isso: ações para promover a saúde, e evitar gastos com o tratamento de complicações.

Por: Dr. Márcio Jansen de Oliveira Figueiredo, membro da Regional Campinas da SOCESP

Esta entrada foi publicada em Hipertensão e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.