Lições que aprendemos com os Jogos Olímpicos

A Olimpíada do Rio de Janeiro reuniu os melhores atletas do mundo no solo brasileiro, com histórias de pessoas transformadas pelo esporte, que deixam algumas lições saudáveis para o País.

Além do desempenho em suas atividades esportivas, o estilo de vida e a preparação dos atletas motivou debates sobre os benefícios da prática de atividades físicas e de uma dieta regrada.

nJOLj80V

Recordista absoluto de medalhas Olímpicas, o nadador Michael Phelps (Getty Images/Chris Hyde)

O diretor científico do Departamento de Educação Física da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Natan Silva, explica que a primeira tarefa para uma pessoa que almeje ser atleta de alta performance ou simplesmente iniciar um processo saudável para se exercitar e praticar um esporte é fazer um check-up e, posteriormente,procurar um especialista na modalidade desejada. “É importante ter esse cuidado para que se treine com responsabilidade. Assim, serão evitados excessos de treinos que possam levar a prejuízos cardiovasculares”.

“Geralmente, eventos esportivos de grande repercussão despertam o interesse das pessoas comuns à prática de esporte, em diversas modalidades. Isso é bom, pois, além de promover a inclusão social, acarreta uma série de benefícios para a saúde dos brasileiros, como a redução de fatores de risco de doenças cardiovasculares, principalmente na redução do colesterol e dos níveis de glicemia, pois quando praticamos exercícios aumentamos o nosso metabolismo, queimamos gordura e ganhamos massa magra”, explica o especialista da Socesp.

Natan salienta ser fundamental evitar o excesso de treino e procurar o auxílio de um profissional de nutrição esportiva, que indique como será realizada a alimentação, principalmente nos períodos de exercícios.

A nutricionista da Socesp, Marcia Gowdak adverte que, na área esportiva, o maior consenso entre os estudiosos é de garantir uma alimentação que mantenha um peso corporal adequado e auxilie a alcançar maior rendimento físico. “Outros aspectos de grande importância estão relacionados com uma dieta que garanta a manutenção dos estoques de glicogênio, que fornece a energia necessária para a musculatura, além do reparo e a construção de tecido muscular”.

A especialista explica, ainda, que o praticante precisa alimentar-se antes do exercício, durante e pós, para garantir a uma boa performance, prevenindo o risco de níveis baixos de glicose durante o exercício.

A expectativa é de que a Olimpíada no Rio de Janeiro motive muitas pessoas a se tornarem atletas, com objetivo de competir ou para melhorar a qualidade da vida.

Esta entrada foi publicada em Atividade física, Coração, Olimpíadas, Rio 2016. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.